18 de dez de 2017

PODE UMA PESSOA QUE COMETE SUICÍDIO, SER SALVA?

Pode uma pessoa que comete suicídio, ser salva?
Resultado de imagem para SUICIDIO
por
Massimo Lorenzini

Pode uma pessoa que comente suicídio ser salva? O que segue abaixo é minha resposta a uma mulher cujo filho cometeu suicídio. Ela disse que ele professava fé em Cristo, mas permitiu a depressão sobrepujá-lo e finalmente acabar com sua própria vida.
Inicio a resposta...
Estou muito triste de ler sobre a tragédia de seu filho. Você me perguntou se você deve se angustiar sobre seu ato. Primeiro esta, como você sabe, é uma questão muito difícil para se responder com certeza. Na realidade, eu não penso que ela possa ser respondida com absoluta certeza. Assim, embora possamos fazer alguns esforços para determinar a condição espiritual da pessoa, no final das contas é o juízo final de Deus sobre a alma de uma pessoa. Segundo, permita-me dizer que eu não creio que o suicídio seja um pecado imperdoável. Terceiro, embora eu não creia que o suicídio seja um pecado imperdoável, eu ainda creio que ele seja pecado. Eu creio que Deus é o autor da vida e não está dentro dos nossos direitos acabar com qualquer vida, até mesmo a nossa.
Com respeito a seu filho, eu não estou muito esclarecido sobre a natureza do testemunho Cristão de seu filho. Permita-me compartilhar com você as marcas de uma genuína fé salvadora.
Primeiro, as seguintes evidências não provam nem desaprovam a fé de alguém:
A. Moralidade visível – Mateus 19:16-21; 23:27
B. Conhecimento intelectual – Romanos 1:21; 2:17ss
C. Envolvimento religioso – Mateus 25:1-10
D. Ministério ativo – Mateus 7:21-24
E. Convicção de pecado – Atos 24:25
F. Certeza – Mateus 23
G. Tempo de decisão – Lucas 8:13-14
Agora, aqui estão algumas provas de uma fé autêntica:
A. Amor a Deus – Salmos 42:1ss; Lucas 10:27; Romanos 8:7
B. Arrependimento do pecado – Salmos 32:5; Provérbios 28:13; Romanos 7:14ss; 2 Coríntios 7:10; 1 João 1:8-10
C. Humildade Genuína – Salmos 51:17; Mateus 5:1-12; Tiago 4:6,9s
D. Devoção à glória de Deus – Salmos 105:3; 115:1; Isaías 43:7, 48:10ss; Jeremias 9:23-24; 1 Coríntios 10:31
E. Oração contínua – Lucas 18:1; Efésios 6:18ss; Filipenses 4:6ss; 1 Timóteo 2:1-4; Tiago 5:16-18
F. Amor abnegado – 1 João 2:9ss; 3:14; 4:7ss; João 13:34-35; 1 Pedro 1:22
G. Separação do mundo – 1 Coríntios 2:12; Tiago 4:4ss; 1 João 2:15-17, 5:5
H. Crescimento espiritual – Lucas 8:15; João 15:1-6; Efésios 4:12-16
I. Vida obediente – Mateus 7:21; João 15:14ss; Romanos 16:26; 1 Pedro 1:2,22; 1 João 2:3-5

Se a primeira lista é verdadeira sobre uma pessoa e a segunda lista é falsa, há motivo para questionar a validade de uma profissão de fé. Todavia se a segunda lista é verdadeira, então a primeira também será.
Agora, visto que eu não conheço o testemunho de seu filho, eu não estou na posição de dizer se ele era um Cristão ou não. Você terá que olhar para o seu testemunho à luz da Palavra de Deus como eu compartilhei com você e tentar discernir isto tão difícil como ele possa ser.
Após fazer isto, se você crê que ele possuía uma fé genuína, então pode ser que ele fez a decisão de acabar com sua própria vida em um momento de confusão sem realmente pensar sobre isto. Neste caso é possível que o ato não necessariamente mostre que ele não era um crente verdadeiro. Por outro lado, pode ser que embora seu filho reivindicasse ser um crente, este ato final de suicídio demonstre seu verdadeiro caráter; que ele na realidade não era um crente verdadeiro durante todo o tempo. Este ato pode representar um ato final de incredulidade e uma rendição ao desespero e à desesperança antes do que a uma confiança no Deus vivo.
Assim é como John MacArthur, um professor da Bíblia muito respeitado hoje, responde a questão:
Pode alguém que comente suicídio ser salva? Suicídio é um pecado grave equivalente ao assassinato (Êxodo 20:13; 21:23), mas ele pode ser perdoado como qualquer outro pecado. E as Escrituras claramente dizem que aqueles redimidos por Deus foram perdoados de todos os seus pecados – passado, presente, e futuro (Colossenses 2:13-14). Paulo diz em Romanos 8:38-39 que nada pode nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus.
Se um verdadeiro Cristão cometer suicídio em um tempo de extrema fraqueza, ele ou ela será recebido no céu (Judas 24). Mas nós questionamos a fé daqueles que tiram suas vidas ou até mesmo consideram isso seriamente – é bem provável que eles nunca tenham sido verdadeiramente salvos.
Eu digo que porque os filhos de Deus são definidos repetidamente nas Escrituras como aqueles que têm esperança (Atos 24:15; Romanos 5:2-5; 8:24; 2 Coríntios 1:10, etc.) e propósito na vida (Lucas 9:23-25; Romanos 8:28; Colossenses 1:29). E aqueles que pensam em cometer suicídio fazem assim porque eles não têm nem esperança nem propósito em suas vidas. Além do mais, alguém que repetidamente considera o suicídio está praticando pecado em seu coração (Provérbios 23:7), e 1 João 3:9 diz que “aquele que é nascido de Deus não comete pecado”. E finalmente, suicídio é freqüentemente a última evidência de um coração que rejeita o senhorio de Jesus Cristo, porque ele é um ato onde o pecador está tirando sua vida com suas próprias mãos completamente antes do que se submetendo a vontade de Deus para isso. Certamente muitos daqueles que tiraram suas vidas ouvirão aquelas terrificantes palavras do Senhor Jesus no julgamento – “Eu nunca vos conheci; Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade” (Mateus 7:23).
Assim, embora seja possível para um crente verdadeiro cometer suicídio, nós cremos que esta é uma ocorrência pouco comum. Alguém, considerando o suicídio, deve ser convidado acima de tudo para examinar a si mesmo para ver se ele está ou não na fé (2 Coríntios 13:5).
[Fim da citação de MacArthur]
Assim, para responder sua questão, você precisa avaliar da melhor maneira que puder, pela Palavra de Deus, se ele era um verdadeiro Cristão ou meramente um falso. Isto não será fácil, eu sei. Se você está convencida, pela Palavra de Deus e não por suas emoções ou qualquer outro padrão, que ele era um verdadeiro Cristão então você pode esperar ver seu filho novamente no Céu. Que sua confiança descase em Deus e na Sua Palavra e uma vez feita a avaliação sobre a condição de seu filho, não permita que você mesma seja influenciada pelas suas emoções ou pela reação de outros. Mas no final das contas, nosso julgamento concernente a uma pessoa ser salva ou não é limitado e não final. Apesar de podermos ter certeza de nossa salvação (1 João 5:13), somente Deus pode fazer a avaliação final sobre a alma de outra pessoa.
Quanto a você, possa a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo, estar com você (2 Coríntios 13:14).

6 de nov de 2017

ONDE ESTÁ SATANÁS?

            Imagem relacionada

Onde Está Satanás?

"E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu." [Lucas 10:18].

É interessante observar as várias opiniões dos comentaristas bíblicos acerca da atual localização de Satanás e as restrições que limitam sua esfera de atividade. Entre elas está a opinião que quando o Diabo e seus anjos malignos pecaram, Deus os baniu do "terceiro céu" — que, de acordo com a crença judaica tradicional, é onde Deus e os santos anjos residem e para aonde o apóstolo Paulo acreditava ter sido transportado em certa ocasião (2 Coríntios 12:2). (Embora Paulo não se refira a si mesmo na passagem, é claro a partir dos pronomes pessoais usados, que ele está falando de sua própria experiência). Segundo essa teoria, a presença imediata de Deus está no terceiro céu, o segundo céu é o espaço sideral onde o sol, a lua e as estrelas estão situados, enquanto que o primeiro céu é a atmosfera do nosso planeta.
Portanto, a questão é esta: Satanás e seus anjos foram lançados do terceiro para o segundo céu, ou podem eles ir livremente de um para o outro? Vamos ver o que as Escrituras dizem sobre o assunto e tentar ver o que se encaixa aqui.
Nosso subtítulo é uma citação do Senhor Jesus Cristo em Lucas 10:18 referente a Satanás, "o deus deste século" (2 Coríntios 4:4), que foi dada como resposta ao seguinte comentário feito pelos setenta discípulos enviados em duplas para testemunhar a Israel:
"E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam." [Lucas 10:17].
Alguns compreendem que a resposta do Senhor significa que ele viu Satanás ser lançado do céu à Terra em algum ponto no passado e, para apoiar essa posição, usam os seguintes versos:
"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!" [Isaías 14:12].
"E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." [Apocalipse 12:7-9].
Entretanto, estou convencido que Satanás não foi banido quando se rebelou contra Deus, porque, quando nos voltamos para as Escrituras e prestamos atenção ao contexto das declarações no Apocalipse sobre aqueles eventos em que Satanás tomará parte — essa teoria em particular não parece estar correta.
Como Jesus Cristo é Deus na pessoa do Filho, e o maior profeta que já caminhou neste mundo, por que não podemos interpretar ambas suas declarações, mais a do profeta Isaías, relativas à queda de Satanás dos céus, como sendo proféticas em sua natureza? Considere os seguintes comentários sobre Lucas 10:18, tiradas do Comentário Bíblico de Jamieson, Fausset e Brown:
"Eu via — Como muito da força dessa gloriosa sentença depende do belo tom de senso indicado pelo tempo imperfeito no original, ela deveria ter sido traduzida assim: 'Eu estava vendo Satanás como um raio cair do céu', isto é, 'Segui vocês em sua missão e observei seu triunfo; embora estivessem maravilhados em ver os demônios se sujeitarem diante de vocês em meu nome, um espetáculo mais grandioso estava se abrindo à minha vista; de forma tão súbita quanto um raio cai do céu na terra, Satanás foi visto caindo do céu! Quão admirável é que, pela lei da associação que conecta uma parte com o todo, parece que aqueles pequenos triunfos dos setenta não somente trouxeram vividamente diante do Redentor o resultado final total de Sua missão, mas a compactaram em um momento comparável com a rapidez de um raio!" [Ênfase minha; tradução nossa].
Outra razão por que estou convencido que os dois versos citados anteriormente ainda não foram cumpridos é porque o último (Apocalipse 12:7) diz que Satanás e seus anjos foram precipitados na Terra! O contexto das visões do apóstolo João registradas naquele capítulo refere-se não somente aos eventos no passado de Israel (o nascimento do Messias e a tentativa de Satanás de matá-Lo), mas também enfatiza alguns dos problemas que afetarão Israel durante o período da Tribulação. Por causa do contexto em que elas estão descritas, estou convencido que somente então Satanás e seus demônios serão lançados do céu e ficarão restritos à Terra.
No Capítulo 12, versos 1 a 5, encontramos uma sequência de eventos em que a mulher (Israel) dá à luz ao seu filho (Jesus Cristo), enquanto o dragão vermelho feroz (Satanás) aguarda para devorá-Lo. Mas no verso 5, a criança destinada a ser o Messias/Rei de Israel nasceu apesar dos melhores esforços de Satanás de matá-Lo prematuramente e viveu tempo o suficiente para completar a missão que Deus tinha preordenado para Ele (Atos 2:23). Então, após oferecer a Si mesmo como o sacrifício perfeito pelo pecado Ele ascendeu de volta ao Pai no céu:
"E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz. E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono." [Apocalipse 12:1-5].
Então, tendo em mente que o contexto de toda a passagem no capítulo refere-se a Israel, o próximo verso (6) salta para além da Época da Igreja para descrever como Deus proverá proteção para Seus eleitos entre o povo de Israel durante a última metade do período da Tribulação — a "Grande Tribulação" dos três anos e meio finais. Um bom número de estudiosos das profecias bíblicas acredita que esse lugar de proteção poderá ser a antiga cidade de Petra, na Jordânia:
"E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias." [Apocalipse 12:6].
Em seguida, estão os versos 7-9, citados anteriormente:
"E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." [Apocalipse 12:7-9].
Primeiro de tudo, devemos observar que o verso 7 na versão Amplificada inicia com a palavra "então" (que é uma escolha legítima para traduzir a partícula grega kai) indicando que a guerra irrompe no céu em um ponto relativo ao que ocorreu no verso 6. Acredito que um exame minucioso do contexto geral mostrará que o efeito dessa guerra no céu será a razão por que a "mulher" é forçada a fugir para salvar sua vida. Além disso, a "abominação que causa desolação" (Daniel 11:31 e 12:11), que os estudiosos conservadores da Bíblia geralmente consideram que ocorrerá na metade do período da Tribulação, definitivamente parecer ser a reação explosiva de Satanás a alguma coisa que ocorrerá dentro dessa janela de tempo específica. Portanto, estou convencido que a "guerra no céu" que resultará na expulsão de Satanás será o gatilho que levará o Anticristo possesso por demônios a revelar sua verdadeira identidade e a lançar a fúria total de sua aversão sobre Israel, bem como sobre tudo o que for santo na terra. Enquanto eu estava a pensar sobre isto, ocorreu-me que em parte alguma as Escrituras dizem que o Anticristo será possesso por Satanás somente. Exatamente como o maníaco gadareno de Marcos 5:9 era possesso por uma "legião", acho inteiramente possível que o Anticristo seja possesso por uma legião de demônios, junto com Satanás!
Voltando ao Apocalipse 12, o verso 10 diz:
"E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite." [Apocalipse 12:10; ênfase adicionada].
As palavras "e" e "agora" no verso acima (tomadas à luz de, e em conjunção com, a matéria contextual de Apocalipse 12:6 e 14) apontam para o tempo desse evento ocorrer após o verso 5 como sendo no ponto mediano do Período da Tribulação? (Isto é, quando seguimos a posição geralmente aceita dos estudiosos conservadores das profecias sobre uma ocorrência da "abominação da desolação" na metade do período).
É quase impossível determinar com absoluta certeza a sequência cronológica exata desses eventos, mas posso sugerir a seguinte estimativa:
  1. Os versos 6 e 14 estabelecem uma "janela" geral de ocorrência como sendo na metade do período da Tribulação (ou talvez um pouco antes da metade).
  2. O "e" do verso 7 estabelece um marcador relativo para o início da guerra no céu.
  3. O "e" e "agora" do verso 10 estabelecem um marcador relativo para o fim da guerra no céu que resulta na expulsão de Satanás e de seus anjos.
  4. O verso 12 estabelece o senso de extrema urgência e fúria que Satanás sentirá e expressará depois que a expulsão ocorrer.
  5. Os versos 13 e 17 estabelecem a direção em que a ira de Satanás será focada — até que Jesus Cristo retorne para dar um basta a ela.
Sendo este o caso, o acusador dos irmãos terá a permissão de continuar atacando o povo de Deus — e ao mesmo tempo continuar entrando no céu — até que guerra entre os anjos ocorra e a permissão de entrar no céu seja revogada para ele. Somente então a entrada será cortada, como consequência de sua expulsão pelo arcanjo Miguel e pelos santos anjos. Quando isso finalmente acontecer, o Diabo ficará furioso, pois seu tempo no "relógio do jogo" estará acabando! Em uma fúria cega devido ao seu ódio contra Deus, ele utilizará seu grande poder sobrenatural para tentar destruir o povo de Israel em particular, e os gentios eleitos em geral, como vemos descrito nos seguintes versos:
"E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte. Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo. E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem. E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente. E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar. E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo." [Apocalipse 12:11-17; ênfase adicionada].
Estou especialmente intrigado pelo verso 13 por causa da velha frase: "E quando o dragão viu que fora lançado na terra...". Para mim, isso parece indicar que, além de ser lançado do céu, sua capacidade sobrenatural de transcender o tempo e o espaço será perdida. Em um instante, o deus deste século terá suas asas cortadas, por assim dizer, com a esfera de sua atividade totalmente limitada à Terra. Assim, seu poder e fúria malignos serão concentrados sobre os objetivos destrutivos pré-ordenados por Deus como julgamento sobre Israel apóstata, bem como sobre o resto do mundo.
Então, voltando um pouquinho atrás, observamos que o verso 4 contém uma frase sobre o "dragão vermelho" que tradicionalmente tem sido interpretada como uma indicação que seus demônios (um terço dos anjos) o seguiram na rebelião e foram banidos do céu e lançados na Terra como consequência — desse modo reforçando a crença que o banimento ocorreu quando eles se rebelaram:
"E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.".
À primeira vista, a colocação dessa frase dentro da sequência de eventos pode parecer validar a crença referente à expulsão deles junto com Satanás, ficando restritos à Terra imediatamente após terem pecado. Mas embora eu também acredite que a frase se refira aos anjos caídos, ela diz claramente que a cauda do dragão vermelho os arrastou e lançou sobre a terra. Portanto, atribuir essa ação a Deus e aos seus anjos parece ser, como dizem os advogados nos tribunais, "assumir fatos que não estão na evidência".
Observe também que o verso 4 conclui com a seguinte frase:
"... e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho." [Apocalipse 12:4b].
Na narrativa total, a ênfase está na tentativa de Satanás de matar o bebê Jesus. Portanto, pode parecer ilógico concluir que a primeira parte do verso se refira ao Diabo ajuntar todos os anjos caídos e enviá-los à Terra em um esforço de ajudá-lo a se opor ao plano de Deus de um Salvador? Afinal, enfrentar atividade demoníaca extrema foi uma das marcas do ministério terreal do Senhor! Mesmo após o diabo ser derrotado pela morte de Cristo na cruz, parece óbvio que até hoje ele ainda tenha acesso à presença de Deus, pois continua a trazer acusações contra os irmãos "de dia e de noite". (veja Apocalipse 12:10, citado anteriormente). Sabemos também que ele tinha acesso à presença de Deus no passado, pois o livro de Jó diz que Satanás vinha à presença de Deus — um fato que parece contradizer a teoria que ele e seus anjos foram lançados na Terra imediatamente após terem se rebelado:
"E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela." [Jó 1:6-7].
Entretanto, as objeções contra Satanás poder entrar no céu hoje são compreensíveis, pois aqueles que mantêm essa posição acreditam que a seguinte passagem diz que Deus não pode tolerar o mal diante de Sua santa presença:
"Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar. Por que olhas para os que procedem aleivosamente, e te calas quando o ímpio devora aquele que é mais justo do que ele?" [Habacuque 1:13].
A lógica é a seguinte: Se o céu é onde Deus, que é infinitamente santo, reside, como pode Satanás, a própria personificação do pecado, ter a permissão de vir diante da presença de Deus? Mas precisamos ter em mente que Deus é onipresente, o que significa que não há lugar algum em que Satanás possa estar longe da presença de Deus! Por essa razão, estou convencido que a resposta se encontre nos princípios da subordinação e prestação de contas. O diabo é um buldogue preso a uma longa corrente, e que somente vem quando é chamado. Seu paradeiro e atividade quase exclusivos de "rodear a terra e passear por ela." [Jó 1:7b], e acusar os irmãos de dia e de noite diante de Deus [Apocalipse 12:10] não requerem sua presença constante no céu. Entretanto, a entrada do diabo e de seus anjos no céu ainda é possível, pois, com base em Jó 1:6-7, Deus pode chamá-los a qualquer momento para que prestem contas de suas ações. Portanto, essa entrada no céu terá de permanecer aberta até aquele ponto no futuro, quando um ato vil de traição a fará ser revogada. Caso contrário, não poderia haver a "guerra no céu" no contexto encontrado em Apocalipse 12.
Por que você supõe que eles serão tão estúpidos ao ponto de tentarem derrubar Deus? Acredito que possa ser devido ao ego colossal de Satanás sendo acumulado pelo aparentemente bem-sucedido regime do Anticristo na terra. Fortalecido por esses triunfos, ele poderá tentar executar as cinco decisões citadas em Isaías 14:13-14 ("eu subirei ao céu, eu exaltarei o meu trono, eu me assentarei, eu subirei... eu serei semelhante ao Altíssimo") por meio de um ataque via "porta dos fundos" aos bastiões do céu! Aproveitando-se de um portal aberto para ele desde a criação, ele entra sem ser chamado e tenta armar um "golpe palaciano". Muito provavelmente, todos os subterfúgios e estratégias imagináveis terão sido experimentados até aquele tempo e então, em um choque cataclísmico entre o bem e o mal, a onipotência de Deus finalmente será testada — sem sucesso, é claro. Mas, que nunca se diga que o Diabo não crê no "poder do pensamento positivo", porque, ao fim do reinado milenar de Cristo, ele será libertado de sua prisão no poço do abismo por um tempo suficiente para conseguir organizar um imenso exército de descontentes (Apocalipse 20:7-10). Entretanto, o resultado dessa malfadada aventura será pior para ele do que da primeira vez que tentou, pois ele será lançado no lago de fogo para sempre!
Satanás definitivamente caiu da graça quando a iniquidade foi encontrada nele. Mas, julgando pelos eventos registrados em Apocalipse 12, não parece que ele ou seus anjos malignos já tenham sido banidos para a Terra, ou que serão, até que sejam lançados para fora e privados de seu antigo estado de existência espiritual. Essa ação drástica provavelmente os reduzirá a uma única opção — a de possuir seres humanos naquilo que provará ser a tentativa fútil final de ofender Deus aniquilando Israel. Essa possibilidade baseia-se em evidências nas Escrituras que parecem ensinar o princípio que, como espíritos desencarnados, os demônios são levados a possuírem alguém — mesmo que seja somente uma vara de porcos (Lucas 8:32). Como o Anticristo será Satanás encarnado por meio de possessão demoníaca, pessoalmente acredito que a seguinte informação encontrada na visão de Isaías sobre Lúcifer nos dê alguma compreensão sobre o resultado daquela tremenda "degradação":
"Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos?" [Isaías 14:16].
Embora o verso 4 de Isaías 14 inicie a passagem referenciando o "rei de Babilônia" (desse modo fazendo alguns concluírem que o restante refira-se a esse mesmo rei humano), a narrativa rapidamente muda seu foco e, a partir do verso 12 até o 17, descreve um ser sobrenatural que estou convencido ser o "querubim ungido" (verso 14) de Ezequiel 28, referido como "o rei de Tiro" no verso 12. Em ambos os casos, a natureza da narrativa expandida claramente transcende qualquer coisa que poderia se referir a um mero mortal — aparentemente indicando que em cada caso um homem está possesso por um ser sobrenatural. Portanto, podemos descartar a possibilidade de ambas serem rápidas visões proféticas do vindouro anticristo?
Em minha imaginação, quase posso ver o "homem" de Isaías 14:6 estirado no chão com o pé do triunfante Jesus Cristo sobre seu pescoço! Então, após os que estiverem olhando virem a cena e considerarem seu significado, Satanás será exorcizado, amarrado e lançado no poço do abismo. Subsequentemente, os "reis de Babilônia e de Tiro", personificados pelo Anticristo, serão reduzidos a um amontoado de cinzas na presença das testemunhas. As duas passagens que fornecem esses detalhes são as seguintes:
"Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te veem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.".
Nota: O "comércio" será o instrumento de controle que o Anticristo colocará sobre as pessoas durante seu reinado. Além disso, em alguns casos, a palavra hebraica miqdash, traduzida como "santuários" é usada para se referir aos locais de falsa adoração. Poderia seu uso aqui se referir aos seres humanos que foram possessos? Afinal, os crentes em Jesus Cristo são chamados de santuários do Espírito Santo.
"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como o deserto, e assolava as suas cidades? Que não abria a casa de seus cativos?" [Isaías 14:12-17].
Se colocarmos essa passagem em paralelo com Ezequiel 28:12-19, a queda de Satanás do céu e sua precipitação na Terra também ocorrerão na metade da Tribulação. Então, após a batalha do Armagedom, o corpo humano do Anticristo será lançado no Seol/Hades. Precisa haver uma distinção entre Satanás e o Anticristo humano, pois o primeiro será lançado no "poço do abismo" durante mil anos, para depois ser liberto por um breve período de tempo. (Apocalipse 20:3). Após sua tentativa final de tomar o lugar de Deus, ele será lançado no lago de fogo (Apocalipse 20:10) — não no Seol/Hades.
Portanto, parece claro que a cabeça do Diabo é grande demais para o minúsculo chapéu que ele está usando e seu lema deve ser "Não acabou até que tenha terminado!" Aparentemente, ele acha que conseguirá vencer a guerra no fim e, por alguma razão, Deus continua permitindo que ele persista. Embora eu certamente não tenha a pretensão de conhecer a razão, pode ter algo a ver com o seguinte verso em Efésios:
"Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus." [Efésios 3:10; ênfase adicionada]

 Fonte.: Espada do Espírito

A SALVAÇÃO IMPOSSÍVEL

                Resultado de imagem para SALVAÇÃO


A Salvação Impossível

"E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível." [Mateus 19:26].

Em Mateus 19:16-26, vemos que quando um homem jovem veio até Jesus Cristo e perguntou o que teria de fazer para obter a vida eterna, a resposta que recebeu testou sua sinceridade! Depois de uma rápida conversa, ele ouviu que para possuir um tesouro no céu, teria de vender tudo o que tinha e dar aos pobres. Mas aquilo arruinou seu dia, e ele "ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades". [Mateus 19: 22].
Então, como um aparte aos seus discípulos, o Senhor teve isto a dizer:
"Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus. E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus." [Mateus 19:23-24].
O próximo verso nos diz como os discípulos reagiram ao ensino:
"Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?" [Mateus 19:25].
Eles perceberam corretamente que a analogia envolvendo camelos e agulhas tinha a intenção de ensinar o princípio da impossibilidade e aquilo os deixou atordoados, porque os judeus acreditavam que as riquezas eram uma clara indicação da aprovação e das bençãos de Deus sobre um indivíduo. Portanto, se um homem rico não pudesse ser salvo, quem poderia?
No verso 26 (citado no subtítulo), foi dito aos discípulos que a salvação era impossível aos homens, mas possível a Deus.
Sendo este o caso, vamos manter a palavra “impossível” gravada em nossa mente enquanto voltamos a atenção para a doutrina da salvação e consideremos algumas coisas que a Bíblia tem a dizer sobre o assunto.
"Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser." [Romanos 8:6-7].
Em seguida, vemos o tema que o apóstolo Paulo iniciou nos versos 4-7 resumidos nos versos 8 e 9:
"Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele." [Romanos 8:8-9].
Portanto, é na realidade impossível para "o homem natural" (o termo que Paulo usa para referenciar um indivíduo não regenerado) agradar, satisfazer ou ser aceitável a Deus. Esse princípio carrega enormes implicações teológicas.
Então, para tornar uma situação ruim ainda pior, encontramos outro aspecto do ensino de Paulo no seguinte verso:
"Ora o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." [1 Coríntios 2:14].
Há também aqui uma conotação de impossibilidade, porque o indivíduo não regenerado não compreende as coisas (os dons, ensinos e revelações) do Espírito de Deus. A Bíblia é incompreensível e sem qualquer sentido para ele — algo que os cristãos que tentam discutir coisas espirituais com incrédulos descobrem bem depressa.
Por que é impossível para eles entenderem? A Palavra de Deus diz que eles estão espiritualmente mortos e são escravos de Satanás:
"Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa aos mortos sepultar os seus mortos." [Mateus 8:22].
"E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência." [Efésios 2:1-2].
O comentário do Senhor Jesus no livro de Mateus refere-se àqueles que estavam espiritualmente mortos e, na segunda passagem, o apóstolo Paulo diz aos crentes de Éfeso qual tinha sido a condição anterior deles. Observe também que Deus fez aqueles crentes reverterem seu estado de morte espiritual — a ressurreição da morte que é referida como nascer de novo.
Há também algo no livro de Romanos que está intimamente relacionado:
"Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só." [Romanos 3:10-12].
Qual foi a primeira coisa que Adão e Eva fizeram depois que provaram o fruto proibido? Eles tentaram se esconder de Deus e todas as almas perdidas daquele dia em diante tentam fazer o mesmo, porque o gênero humano como um todo herdou a natureza caída e depravada deles!
Em seguida, descobrimos que é impossível para qualquer indivíduo vir a Cristo, a não ser que o Espírito Santo forneça o ímpeto e o arraste até Ele:
"Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou o não trouxer: e eu o ressuscitarei no último dia." [João 6:44].
Arrastar?? Sim, de acordo com a Concordância de Strong, a palavra grega helkyo traduzida como "trouxer" significa arrastar, literal ou figurativamente. A natureza humana pecaminosa é forte e continuará resistindo a Deus até que finalmente seja deixada para trás, quando nós, como crentes, recebermos nossos corpos glorificados no arrebatamento da igreja. Enquanto permanecermos nestes corpos caídos e depravados, o Espírito Santo continuará a nos arrastar para a meta da maturidade espiritual; pois seria impossível obter progresso sem a ajuda Dele.
Assim, para resumir o que vimos até aqui, o homem perdido — o homem não regenerado — vive em um estado em que é impossível para ele reconhecer, e muito menos fazer qualquer coisa a respeito, pois:
  1. Está morto espiritualmente.
  2. É um escravo de Satanás.
  3. Não pode fazer nada para agradar a Deus.
  4. Não pode compreender a palavra de Deus.
  5. Não busca a Deus.
O único modo de sua condição espiritual piorar ainda mais é morrer, como aconteceu com o homem rico de Lucas 16, e entrar nos tormentos do inferno!
De algumas formas, a condição do homem natural me lembra a que Helen Keller (1880-1969) experimentou logo no início de sua vida. Uma enfermidade a deixou cega e surda aos 19 meses de idade, contudo ela se transformou em uma notável autora, ativista política e conferencista. A história de como sua professora, Annie Sullivan conseguiu quebrar o isolamento imposto a ela por uma quase completa carência de linguagem ficou conhecido mundialmente por meio do filme O Milagre de Helen Keller (The Miracle Worker).
Alguns anos atrás visitei a casa dela em Tuscumbia, no Alabama, para assistir a peça teatral The Miracle Worker, encenada por atores locais — e uma coisa que imediatamente me surpreendeu foi como ela era uma criança ativa e incontrolável! Suas ações imitavam aquelas de uma pessoa insana, mas é claro que as extremas incapacidades físicas a tinham reduzido a uma busca centrada em si mesma para satisfazer às necessidades mais básicas de um ser humano.
Vamos tentar nos colocar no lugar dela e imaginar como seria crescer sem poder ver ou ouvir qualquer coisa. Se houve qualquer lembrança de fala, deve ter sido mínima, tornando o processo de pensar extremamente vago e difícil. E se ela não tivesse recebido ajuda, o resultado teria sido indubitavelmente uma vida com pouquíssima mudança para melhor, porque era humanamente impossível para ela fazer qualquer progresso significativo sozinha.
Todavia, a situação espiritual que todos os serem humanos enfrentam ao nascer é infinitamente mais pavorosa, porque nenhuma "Annie Sullivan" pode intervir a favor deles e ajudá-los a sair de sua condição. Eles estão espiritualmente mortos e não podem ser alcançados pela ajuda de meros mortais – não importa o quão amorosos e preocupados eles possam ser em suas intenções! Para a salvação ser obtida, Deus terá de concedê-la, pois de outro modo é impossível.
Isto nos traz a um melindroso ponto da doutrina que ainda evoca um caloroso debate entre o povo de Deus: uma pessoa perdida pode tomar a decisão de se arrepender dos seus pecados e "aceitar" a Jesus Cristo? A opinião da maioria hoje é um impróprio "sim", mas não deveríamos perguntar para nós mesmos como isso é possível, levando-se em conta a morte espiritual e a servidão a Satanás? A princípio, os homens naturais estão em um estado muito pior do que o de Helen Keller, no sentido que não são apenas "cegos e surdos" em sua condição espiritual, mas não têm nenhum senso de "tato, paladar ou olfato"! Eles estão espiritualmente mortos e até mesmo sua esperança se foi:
"... que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos concertos da promessa, não tendo esperança da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo." [Efésios 2:12; ênfase adicionada].
Não parece razoável concluir que Deus estaria satisfeito se eles escolhessem se arrepender e receber a Cristo? Mas como isso é possível, se Romanos 8:8-9 inequivocamente define o fato que eles não podem agradar a Deus enquanto estiverem na condição de homem não regenerado e, portanto, desprovidos do Espírito Santo?
Helen Keller unilateralmente escolheu erguer-se por iniciativa própria e sem a ajuda de ninguém? Não, porque naquele momento ela era totalmente incapaz de tomar essa decisão e sua “salvação” requereu ajuda externa. E eu respeitosamente digo que tal é o caso com um pecador perdido. Arrependimento e fé são impossíveis, a não ser que Deus primeiro anule a maldição de morte espiritual regenerando o indivíduo. É claro que sei que essa sequência é uma contradição completa daquilo que a maioria dos cristãos professos acredita hoje (na maior parte de minha vida também acreditei nisso, porque é o que me foi ensinado), mas uma análise mais atenta e cuidadosa das Escrituras revela que a ordem está na realidade correta.
"E os gentios ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna." [Atos 13:48].
Observe que os que estavam "ordenados" é que creram; o texto não diz: "Todos os que creram foram ordenados para a vida eterna" — a sequência comumente ensinada hoje. Em outras palavras, (1) "Se você fizer algo (aceitar a Cristo) (2) receberá a salvação de Deus. Mas não podemos ver que “aceitar” é um verbo? Verbos indicam ação e ação indica obras — algo que a Palavra de Deus sonoramente refuta como sendo um meio de se obter a salvação!
"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie." [Efésios 2:8-9].
Portanto, para concluir, preciso salientar que existe uma sugestão no mínimo estranha quando se diz que alguém precisa “aceitar” a Cristo para ser salvo. Isto é como dizer para um criminoso na fila para receber a pena de morte que para ser perdoado pelo governador, ele precisa aceitar o perdão! A salvação, como um perdão, é um ato de graça (favor imerecido) do Doador e a permissão do recebedor condenado nem é requerida nem buscada. Na realidade, fazer isso seria um absurdo completo por causa da enormidade do gesto! Isso também daria a um indivíduo orgulhoso a oportunidade de se vangloriar de ter a palavra final: "Não quis permitir que eles colocassem aquele perdão na minha goela abaixo, de modo que os fiz esperar enquanto pensava sobre o assunto!".
Antes de você levantar a objeção quase automática sobre isso ser uma violação da liberdade do arbítrio da pessoa, há uma questão lógica que precisamos considerar: uma vez que uma pessoa não regenerada não pode agradar a Deus, como o arbítrio (a vontade) dela pode ser verdadeiramente livre? Liberdade e limitação não são mutuamente exclusivas?
Além disso, por que o Espírito Santo usa a palavra "morto" (do grego nekros) para descrever a condição espiritual do não-regenerado — a mesma palavra usada para descrever a condição física terminal de Jesus Cristo na cruz — a menos que ambos estivessem em um estado de existência que fosse além do ponto em que, humanamente falando, "tomando uma decisão" eles poderiam mudar sua condição? Eu digo a você que somente o milagre da ressurreição pode realizar isso para aqueles que estão mortos.
Quando Deus ressuscita o morto, Ele regenera uma alma e recebe um filho! Então, e somente então, o homem pecador é capaz de compreender o milagre espiritual que foi feito por ele, de modo que, sem primeiro passar "da morte para vida" (João 5:24), crer é impossível. Sendo esse o caso, a crença é de fato o resultado da salvação e não a causa!
O que há de mais nisso? Você pergunta. O importante é ser salvo, indiferente de como chegamos lá, certo? Bem… não realmente! Considere as seguintes afirmações e então pergunte a si mesmo qual das duas opções traz maior honra para Deus:
  1. Deus me salvou.
  2. Permiti que Deus me salvasse.

3 de out de 2017

12 EVIDÊNCIAS BÍBLICAS DE VIDA APÓS A MORTE

Doze Evidências Bíblicas de Vida Consciente após a Morte do Corpo, do Tormento Eterno dos Ímpios, do Gozo dos Crentes e da Perpétua Existência dos Espíritos.
Por Nélio Macedo, apologista protestante.
Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância (Jo 10.10 b).
1) O ladrão condenado foi salvo e esteve com Deus no terceiro céu, o paraíso, no mesmo dia em que morreram ele e o Salvador. O texto também dá suporte a idéia de que a alma espiritual do homem tem consciência após a morte, lançando por terra a pregação daqueles que entendem que a alma é somente um componente que dá animação ao corpo como um programa de computador dá animação a um robô sem conferir-lhe personalidade, caráter, razão, consciência e individualidade.
LC 23.43 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.
IICO 12.2 Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. IICo 12.3 E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) IICo 12.4 Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.
2) O apóstolo Paulo admite a certeza de que estará com Cristo no Céu após morrer.
Fp 1.21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. Fp 1.22 Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher. Fp 1.23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor. Fp 1.24 Mas julgo mais necessário, por amor de vós, ficar na carne.
3) Cristo ensina a consciência ao admitir haver um juízo e um destino para as almas dos homens após a morte.
HB 9.27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.
Lc 16.19 Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente. LC 16.20 Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele; Lc 16.21 E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas. Lc 16.22 E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. Lc 16.23 E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. LC 16.24 E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Lc 16.25 Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado. LC 16.26 E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá. Lc 16.27 E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, LC 16.28 Pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Lc 16.29 Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. LC 16.30 E disse ele: Não, pai Abraão; mas, se algum dentre os mortos fosse ter com eles,
arrepender-se-iam. Lc 16.31 Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite.
4) O Mestre ensina que, mesmo que o crente esteja morto, sempre viverá,pois é Deus de vivos e não de mortos.
Jo 11.25 Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; Jo 11:26 e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?
Mt 22.32 Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos.
5) O Apocalípse ensina a consciência dos seres humanos após a morte do corpo.
Ap 6.9 E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. AP 6.10 E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? Ap 6.11 E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram.
6) Os salmistas ensinam que Deus guia o homem enquanto vivo e que o recebe na Glória após a sua morte.
Sl 49.14 Como ovelhas são arrebanhados ao Seol; a morte os pastoreia; ao romper do dia os retos terão domínio sobre eles; e a sua formosura se consumirá no Seol, que lhes será por habitação. Sl 49.15 Mas Deus remirá a minha alma do poder do Seol, pois me receberá.
Sl 73.21 Quando o meu espírito se amargurava, e sentia picadas no meu coração, Sl 73.22 estava embrutecido, e nada sabia; era como animal diante de ti. Sl 73.23 Todavia estou sempre contigo; tu me seguras a mão direita. Sl 73.24 Tu me guias com o teu conselho, e depois me receberás em glória.
7) Paulo ensina que, enquanto nesse corpo, estamos ausentes do Senhor, mas que após a morte o crente estará na Sua presença.
IICo 5.1 Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. IICo 5.2 Pois neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu, IICo 5.3 se é que, estando vestidos, não formos achados nus. IICo 5.4 Porque, na verdade, nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser despidos, mas sim revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. IICo 5.5 Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu como penhor o Espírito. IICo 5.6 Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos presentes no corpo, estamos ausentes do Senhor IICo 5.7 (porque andamos por fé, e não por vista); IICo 5.8 temos bom ânimo, mas desejamos antes estar ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor. IICo 5.9 Pelo que também nos esforçamos para ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes. IICo 5.10 Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal.
8) Tiago, irmão do Senhor, admite que o crente, mesmo depois de estar no sono da morte, vive na santa presença do Senhor.
I Ts 5.9 porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo, I Ts 5.10 que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele.
9) Paulo admite que a família de Deus, o Pai dos crentes, também está no Céu.
Ef 3.14 Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai, Ef 3.15 do qual toda família nos céus e na terra toma o nome, Ef 3.16 para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais robustecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior.
10) O autor de Hebreus admite que os patriarcas estão a desejar a ressurreição, o que nos faz pressupor estarem tais homens conscientes mesmo após a morte de seus corpos.
Hb 11.13 Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Hb 11.14 Ora, os que tais coisas dizem, mostram que estão buscando uma pátria. Hb 11.15 E se, na verdade, se lembrassem daquela donde haviam saído, teriam oportunidade de voltar. Hb 11.16 Mas agora desejam uma pátria melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus não se envergonha deles, de ser chamado seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade.
11) O Senhor Jesus mostra-nos o inferno como um lugar de punição ininterrupta para os descrentes e demais inimigos de Deus Pai.
MT 3.10 E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada nofogo.
MT 3.12 Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará.
MT 13.40 Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo.
MT 13.50 E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.
LC 13.24 Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. LC 13:25 Quando o pai de família se levantar e cerrar a porta, e começardes, de fora, a bater à porta, dizendo: Senhor, SENHOR, abre-nos; e, respondendo ele, vos disser: Não sei de onde vós sois; LC 13:26 Então começareis a dizer: Temos comido e bebido na tua presença, e tu tens ensinado nas nossas ruas. LC 13.27 E ele vos responderá: Digo-vos que não sei de onde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais a iniqüidade. LC 13:28 Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas no reino de Deus, e vós lançados fora.
MC 9.43 E, se a tua mão te escandalizar, corta-a; melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, MC 9.44 Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga. MC 9.45 E, se o teu pé te escandalizar, corta-o; melhor é para ti entrares coxo na vida do que, tendo dois pés, seres lançado no inferno, no fogo que nunca se apaga, MC 9.46 Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga.
MC 9.47 E, se o teu olho te escandalizar, lança-o fora; melhor é para ti entrares no reino de Deus com um só olho do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno, MC 9.48 Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga. MC 9.49 Porque cada um será salgado com fogo, e cada sacrifício será salgado com sal.
AP 20.10 E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.
JD 1.6 E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; JD 1.7 Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.
12) Mesmo morto há séculos, Moisés aparece ao Salvador no monte.
Dt 34.5 Assim morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe,conforme a palavra do SENHOR.
MC 9.2 E seis dias depois Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles; MC 9.3 E as suas vestes tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas como a neve, tais como nenhum lavadeiro sobre a terra os poderia branquear. MC 9.4 E apareceu-lhes Elias, com Moisés, e falavam com Jesus. MC 9.5 E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Mestre, é bom que estejamos aqui; e façamos três cabanas, uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias.
JD 1.9 Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda.
Fonte: CACP

O ANIQUILACIONISMO É BÍBLICO?

Aniquilacionismo é a crença de que os incrédulos não irão viver uma eternidade de sofrimento no inferno, mas serão “extinguidos” após a morte. A crença no aniquilacionismo é o resultado da falta de entendimento de um ou mais das seguintes doutrinas: (1) as conseqüências do pecado, (2) a justiça de Deus, (3) a natureza do inferno.
Em relação à natureza do inferno, aniquilacionistas não entendem o significado do lago de fogo. Obviamente, se um ser humano fosse lançado em um lago de lava, ele seria instantaneamente consumido. No entanto, o lago de fogo é um domínio tanto físico quanto espiritual. Não é simplesmente o corpo de um humano sendo lançado no lago de fogo, é o corpo, a alma e o espírito de um humano. Uma natureza espiritual não pode ser consumida por fogo físico. Ao que tudo indica, os não-salvos são ressuscitados com um corpo preparado para a eternidade da mesma forma que os salvos (Apocalipse 20:13; Atos 24:15). Estes corpos estão preparados para um destino eterno.
A eternidade é outro aspecto que o aniquilacionismo falha em adequadamente compreender. Aniquilacionistas estão corretos quando dizem que a palavra grega “aionion”, que é traduzida como eterno, não significa eterno por definição. Ela se refere especificamente a uma “era” ou “eon”, um período de tempo específico. No entanto, está claro que no Novo Testamento o uso de “aionion” é algumas vezes feito para se referir a um período de tempo eterno. Apocalipse 20:10 fala de Satanás, da besta e do falso profeta sendo lançados no lago de fogo e sendo atormentados “de dia e de noite, pelos séculos dos séculos”. Está claro que estes três não são “extinguidos” por serem lançados no lago de fogo. Por que seria o destino dos não-salvos diferente (Apocalipse 20:14-15)? A evidência mais convincente para a eternidade do inferno é Mateus 25:46: “E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna”. Neste versículo, exatamente a mesma palavra grega é usada para se referir ao destino nos injustos e dos justos. Se os injustos são atormentados apenas por uma “era”, então os justos irão viver no Paraíso por apenas uma era. Se os crentes forem para o Paraíso para sempre, então os incrédulos irão para o inferno para sempre.
Outra freqüente objeção à eternidade do inferno feita pelos aniquilacionistas é que seria injusto se Deus punisse os incrédulos no inferno pela eternidade por causa de uma quantidade finita de pecado. Como seria justo se Deus punisse durante a eternidade uma pessoa que viveu em pecado por, por exemplo, 70 anos? A resposta é a seguinte: nosso pecado tem uma eterna conseqüência porque vai contra um Deus eterno. Quando o Rei Davi cometeu os pecados de adultério e assassinato ele disse: “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos…” (Salmos 51:4). Se Davi havia pecado contra Bate-Seba e Urias, como poderia afirmar que havia pecado apenas contra Deus? Davi entendeu que todo pecado é derradeiramente contra Deus. Deus é um Ser eterno e infinito. Como resultado, todo pecado é merecedor de punição eterna. Um exemplo terreno disto seria comparar um ataque contra o seu vizinho com um ataque contra o presidente dos Estados Unidos. Sim, ambos são crimes, mas atacar o presidente resultaria em conseqüências muito piores. Quão mais terrível é a conseqüência acarretada pelo pecado contra um Deus santo e infinito?
Um aspecto mais pessoal do aniquilacionismo é a idéia de que nós não teríamos a possibilidade de sermos felizes no Paraíso se nós soubéssemos que alguns dos nossos amados estivessem sofrendo uma eternidade de tormentos no inferno. Quando nós chegarmos ao Paraíso, nós não teremos nada do que reclamar ou do que nos entristecer. Apocalipse 21:4 nos diz: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram”. Se alguns dos nossos amados não estiverem no Paraíso, nós estaremos 100% de acordo que eles não deveriam estar ali – que eles serão condenados pela própria recusa de aceitar Jesus Cristo como seu Salvador (João 3:16; João 14:6). É difícil entender isso, mas nós não seremos entristecidos pela falta da presença deles. Nosso foco não deve ser em como aproveitar o Paraíso sem os nossos amados, mas em como nós podemos encaminhar nossos amados para a fé em Cristo – para que eles estejam lá.
O inferno é talvez a razão primária pela qual Deus enviou Jesus para pagar pelo preço dos nossos pecados. Ser “extinguido” depois da morte não é um destino a temer, mas uma eternidade no inferno definitivamente o é. A morte de Jesus foi uma morte infinita, pagando nosso débito infinito pelo pecado – para que nós não o tivéssemos que pagar eternamente no inferno (2 Coríntios 5:21). Tudo o que temos a fazer é depositar nossa fé Nele e então seremos salvos, perdoados, limpos e receberemos a promessa de um lar eterno no Paraíso. Deus nos amou tanto para prover a nossa salvação. Se nós rejeitarmos Seu dom de vida eterna, nós iremos encarar as eternas conseqüências dessa decisão.
Fonte.: CACP

O QUE É ALMA?

alma imortal
“Gostaria de saber se o vocábulo “aima” significa: sopro, vida, sangue ou personalidade?”
A alma é distinta entre o corpo e o espí­rito, sendo imortal e imaterial. O vocábulo “nephesh” (Heb) é traduzido alma mais de 500 vezes no Antigo Testamento e “psy-chê” (Gr) mais de 30 vezes no Novo Testa­mento. Assim, a palavra alma aparece com vários sentidos nas Santas Escrituras tan­to figurativo como por Sinédoque. É nesse particular que se precisa muito cuidado, pois muitas falsas interpretações resultam daí, originando destarte falsos ensinos. É imperioso conhecer o sentido estrito e teo­lógico da palavra “alma”, bem como os fi­gurados do mesmo vocábulo, como aparece no texto bíblico. Os animais também têm alma, mas muito inferior à do homem: Gn 1.20,21,24,28; SI 8.5-8; Mt 6.26; 1 Co 15.39-41. Note-se que a mesma palavra original “nephesh” é usada em Gênesis capítulo primeiro, concernente ao homem e aos ani­mais. A alma dos animais além das muitas inferioridades, acaba com a morte do bru­to, já a alma do homem é eterna. Além dis­so, Deus, ao criar os animais disse: “faça-se”, mas quanto aos homens, disse: “faça­mos o homem segundo a nossa imagem e semelhança”.
O nosso corpo é a “bainha” da alma; ela explora o ambiente ao nosso redor e recebe as impressões do mundo exterior por meio dos sentidos corporais: vista, ouvido, olfato. etc. A alma é a sede das emoções, paixões, desejos e sentimentos. A alma, por meio do espírito, põe-nos em contato com Deus e por meio do corpo põe-nos em contato com o mundo.
A alma é o ser social do homem. Por meio dela ele tem consciência de si mesmo. Sabe que é uma personalidade. Resta-nos saber que este vocábulo tem seis sentidos diferentes nas Escrituras, sendo um real e cinco figurados. São eles:
1.  0 sentido real. Isto é, “alma” signifi­cando alma mesmo.
2.  A alma significando o sangue: Lv 17.14; Dt 12.23. Isto apenas ressalta o valor do sangue, sem o qual o homem não pode viver. Quando se faz transfusão de sangue, não se diz que estão fazendo transfusão de alma, nem injetando alma.
3.  “Alma” significando o corpo, a pes­soa física: Gn 12.5; 46.27; Êx 1.5; 12.4; Lv 21.11; Nm 6.6; Rm 13.1.      •
4.  “Alma” significando animal: Gn 1.20. Aí, no original a palavra empregada é “nephesh”. Se o sentido não fosse figura­do, entenderíamos por exemplo: “produ­zam as águas pessoa vivente”, o que seria um contra-senso.
5.  “Alma” significando vida: Lv 22.3. Trata-se de sinédoque, figura de linguagem literária, em que a parte é tomada pelo todo. Alma é também chamada vida, porque é ela a parte mais importante do ser. Ela transmite vida ao corpo mediante o espírito.
6. “Alma” significando coração: Dt 2.30. Ora, sabemos que o coração é um órgão como os demais, de carne, que bom­beia o sangue através do corpo. Tudo o que se atribui ao coração o é figuradamente. A referência mesmo é a alma: 1 Rs 8.17; SI 14.1; Mt 9.14; 1 Co 7.37.